Sobre CIPA

CIPA

Centro de Investigação Pesqueira Aplicada – CIPA

Centro de Investigação Pesqueira Aplicada é uma instituição pública, de carater técnico científico sob a tutela do Ministro das Pescas da Guiné-Bissau. Composto por quatro Direções – Recursos Humanos e Financeiros, Serviços dos Recursos Haliêuticos e Oceanografia, Estatística e Laboratório Nacional das Pescas. Tem mandato de realizar pesquisas, desenvolver políticas e normas da conservação e da gestão dos recursos marinhos no território nacional.

Objetivo

Coordenar e executar todas as atividades de investigação e pesquisa dos recursos pesqueiros.

Missão

Coordenar, executar todas as atividades de investigação valorizando o conhecimento científico e tradicional na gestão dos recursos pesqueiros, elaborar os dados estatísticos, proceder ao controlo de qualidade do pescado destinado ao mercado interno e à exportação bem como propor ao Ministro das Pescas a definição de políticas de defesa do setor.

Visão

CIPA tem um plano estratégico com uma visão: “Os Recursos Marinhos da Guiné-Bissau são conservados de uma forma duradoura para gerações presentes e futuras”.

Historial

Criado pelo Decreto Nº 7/98. O Centro de Investigação Pesqueira Aplicada, abreviadamente designado CIPA, é uma pessoa coletiva de direito público, de caráter técnico científico sob a tutela de Ministro das Pescas, dotado de autonomia administrativa e financeira, tendo como principais atribuições coordenar executar todas as atividades de investigação e pesquisa dos recursos pesqueiros, estudar e propor ao Ministro das Pescas a definição de políticas de defesa dos recursos pesqueiros, bem como elaborar os dados estatísticos do setor pesqueiro e proceder ao controlo de qualidade do pescado destinado ao mercado e à exportação.

O Centro está sediado em Bissau podendo estabelecer delegações ou representações em outros pontos do país.

O CIPA tem por atribuições efetuar todas as investigações e pesquisas que permitam:

a) Obter um melhor conhecimento dos recursos pesqueiros (marítimo e continental) ao nível nacional;

b) Um acompanhamento permanente da situação biológica e económica da exploração destes mesmos recursos pelas frotas nacionais e estrangeiras, e das condições das reservas exploradas;

c) A elaboração de um plano anual de pesca que determine o nível da exploração desejado, a fim de garantir a melhor preservação de recursos e do meio ambiente;

d) O controle da qualidade dos recursos da pesca colocados no mercado interno e destinados à exportação;

e) A recolha, tratamento, análise e publicação dos dados estatísticos do setor.